Síndrome da separação: como superar?

Síndrome da separação: como vencer a ansiedade que nos gera esta angústia?

Síndrome da separação: como vencer a ansiedade que nos gera esta angústia?

Comum na infância, a síndrome da separação pode indicar níveis de ansiedade acima do normal nas crianças. É preciso redobrar a atenção

Também chamado de ansiedade da separação, este sentimento ocorre quando compreendemos a ausência de alguém importante em nossas vidas, principalmente durante a infância, quando percebemos a ausência (mesmo que momentânea) dos pais. É algo que surge e demanda o gerenciamento das emoções, da ansiedade e também tomadas de decisões importantes. A síndrome da separação é o assunto do post de hoje, aqui no blog da Arita Treinamentos. Continue a leitura!

O que você precisa saber sobre a síndrome da separação

Para melhor compreensão sobre como a síndrome da separação está presente em nossas vidas, vamos tratar do assunto em faixas etárias diferentes, principalmente com foco no controle da ansiedade. Confira:

4 meses de vida a 1 ano de idade

  • Se possível, evite deixar o bebê com pessoas que não fazem parte da sua rotina. Caso não seja possível, verifique com atenção se o bebê fica à vontade sob os cuidados de outras pessoas.
  • Caso a criança manifeste rejeição ao ficar com outra pessoa, mesmo que seja um familiar ou amigo próximo, permaneça ao lado por algum tempo para que o bebê compreenda que você está ali por perto para o que precisar.
  • Assim que a criança começar a engatinhar, afaste-se um pouco. Deixe que ela engatinhe sozinha e crie uma certa independência. Pode parecer algo bobo, mas é um fator importante para controlar a ansiedade da separação.
  • Outra boa dica para tentar controlar a angústia da separação é brincar de esconde-esconde com o bebê.

1 e 2 anos de idade

  • Durante esta faixa etária, a criança já compreende alguns sinais de linguagem corporal e oral. Por isso, o ideal é que você tente explicar o motivo da sua ausência e deixe claro que logo irá voltar. Preferencialmente, sem expressões de tristeza ou preocupação.
  • Não saia escondido(a) e sempre se despeça da criança, por mais complicada que seja a situação e mesmo se a criança começar a chorar no momento.
  • Busque manter um clima agradável e tranquilo ao se despedir. Ao fazer isso, sempre que ocorrer uma futura separação, a criança não terá (ou terá poucas) lembranças negativas ou traumáticas. A síndrome da separação pode ser combatida desta maneira com o passar dos anos.

A partir de 2 anos de idade

  • Muitas crianças começam a ficar sozinhas, com mais frequência, a partir dos dois anos de idade. E se a criança apresentar sinais claros de ansiedade, o ideal é que você dê um passo de cada vez no sentido da ausência. Por exemplo: na primeira semana, deixe a criança sozinha por 30 minutos. Na segunda semana, aumente para uma hora. E assim por diante.
  • Outro ponto comum ocorre na escola, com a criança não querendo ficar sem os pais. É um sinal claro da síndrome da separação. Uma boa alternativa é deixar com a criança algum brinquedo que ela associe à casa e aos pais, ao bem-estar emocional. Evidentemente, se a escola permitir. Um brinquedo favorito pode passar mais segurança e ajudar a combater a ansiedade.

Com o tempo, é esperado que a criança passa a controlar melhor a ansiedade que sente ao ficar longe dos pais. Um fato importante e que todos os pais precisam compreender é que uma criança não deve sofrer excessivamente com a separação. Caso a criança apresente dores de cabeça, vômitos, falta de ar, náuseas, palpitações, agressividade e outros sinais fora do comum, redobre a atenção.

Inteligência emocional

A metodologia que busca compreender as emoções e derrubar as barreiras psicológicas que geram problemas, como a síndrome da separação, pode fazer a diferença para você que tem filhos que não conseguem ficar sozinhos. Quer saber mais sobre o assunto? Aproveite: fale com um dos nossos especialistas!

Lizandra Arita

Graduada em Psicologia pela Universidade Bandeirante de São Paulo e em Engenharia pela FEI, Lizandra Arita é também psicóloga Institucional e Clínica, atuando desde 1998 (22 anos) em treinamentos de autodesenvolvimento. Especialista em PNL (Programação Neuro Linguística), Hipnose e Autohipnose, Rebirthing, Psicodinâmicas, Gerenciamento de Emoções e Conflitos, Lizandra é especialista em casos de depressão, ansiedade, processos emocionais ou comportamentais, problemas de relacionamento, fobias, pânico e transtornos obsessivos compulsivos.

Entre suas especializações, Lizandra tem formação em cursos de aperfeiçoamento de Master Practitioner pela SBPNL, Disney’s Approach to Quality Service (Disney Institute), Os Segredos da Mente Milionária (T. Harv Eker), Unleash the Power Within (Anthony Robbins), Hipnose & Auto-Hipnose (Instituto AmanheSer), Formação Profissional em Renascimento (Instituto Renascimento), Rebirthing (Instituto Sinergia),Grupo Dirigido de Psicodinâmica em Negócios (Cogni MGR), The Healing Potential of Non-Ordinary States of Consciousness (Stanislav Grof), Movie Yoga – Turning Your Life into an Epic Adventure (Tav Sparks), The Adventure of Self-Discovery/A Holotropic Breathwork Experience (Stanislav Grof e Tav Sparks), Gerenciamento de Emoções e Conflitos (Cogni MGR) e Psicologia Pré e Peri Natal (ACT Institute).

ARTIGOS RELACIONADOS

Mindfulness no dia a dia
LER MAIS

Mindfulness no dia a dia

Em um mundo onde a agitação e o estresse parecem inevitáveis, a prática de mindfulness surge como um refúgio...

Pular para a barra de ferramentas