6 dicas para tomada de decisões | Arita - Treinamento de Inteligência emocional

6 dicas para tomada de decisões

Como tomar decisões

A cada acordar, todos os dias, nos deparamos com uma situação que espera de nós uma decisão. Levantar-se da cama e ir em direção à vida já é uma decisão. Das mais simples as mais elaboradas, todos estamos na mesma condição: precisamos escolher a todo instante. De acordo com Sheena Iyengar, psicóloga e economista americana, tomamos 70 decisões por dia. Muito, né?!? Acontece que levantar da cama é fácil. Não requer tanto esforço assim. No entanto, há situações em que somos desafiados por um elemento preponderante e fulminante sobre nós: o medo. É ele que aparece quando temos uma decisão difícil pela frente. E elas aparecem, viu, como aparecem! Alguns enfrentam esse medo de frente, pedem ajuda, quando necessário, estudam, ponderam e tomam a decisão. Outros, guiados pela emoção, saltam logo o medo e decidem sem muito pensar. Há, ainda, um terceiro grupo, que simplesmente se paralisa diante do medo das decisões importantes e não faz nada. Fica imóvel, vendo a vida passar ou deixando que outras pessoas governem suas vidas, deixando os sonhos passarem pela janela, sem agarrar o controle de suas vidas nas mãos. Em qual destes três grupos você está? Faça uma auto-análise e veja algumas dicas que podem te ajudar a tomar as rédeas da sua vida de uma vez por todas.

Diminua as opções Sheena fez uma experiência e a relatou em uma palestra. Ela fez duas bancas com geleias para venda no corredor de uma loja famosa. Em uma banca, haviam seis tipos de geleia e, na outra, 24 opções. A banca com menos geleias teve um índice de venda de 30%, enquanto que a banca maior só vendeu 3% das geleias. Sheena explicou: o excesso de alternativas deixa o ser humano paralisado. Isso vale para tudo na vida, de geleias a casar ou comprar uma bicicleta. O excesso de alternativas nos confunde e nos deixa indecisos. Aí, preferimos, de forma inconsciente, deixar quieto. Não escolhemos. Ou seja, não agimos. Ficamos em cima do muro. Então, como resolver isso? Corte, simplifique, racionalize. Ao ter de tomar uma decisões, seja prático nos caminhos. Não abra demais o leque das possibilidades. Corte possibilidades, assim será mais fácil de escolher, certamente.

Mais qualidade, menos quantidade Não se pode ter tudo na vida. Isso você deve escutar de sua mãe desde que é pequenininho. E não é que ela estava certa? De fato, não é possível ter tudo e, vou além, a cada escolha uma renúncia. Quando escolhemos algo, deixamos outras coisas de lado. Por isso, é bom, além de focar em menos opções de escolha, como falamos acima, mas também naquilo que tem mais qualidade. É o tal do custo x benefício.

Analise suas decisões Analisar é treino. Para tudo na vida precisamos de treino para conseguir parar, respirar, olhar e analisar cada situação. No momento de fazer escolhas é preciso não ser tão impulsivo e tomar a decisão daquilo que mais faz sentido com seus valores, crenças e aquilo que realmente é relevante para sua vida. Conectar-se profundamente com você, lembrar quem você é, para onde deseja ir e como pretende levar a vida é regra de ouro para tomar as decisões mais certas.

Visualize os cenários pós-escolha
Um exercício interessante é visualizar os vários cenários das suas escolhas. Tente imaginar como seria sua vida após a Escolha A e a Escolha B, visualize você mesmo, tente ver suas emoções e como estaria se sentindo. Aí, opte pelo caminho que for mais seguro, tranquilo e confortável para você.

Esperar o momento certo de agir Existem escolhas que nos pegam de jeito e sacodem nossas estruturas, fazendo-nos dar um passo de qualquer jeito. Como quando o proprietário pede, de surpresa, o apartamento de volta e você precisa se mudar de casa no prazo de um mês. Aí não tem jeito: é agir ou agir. Agora, existem algumas situações em que se pode esperar. E talvez a espera seja tudo o que você realmente precisa para se dar bem. Isso porque algumas decisões envolvem sentimentos bastante complexos e elaborados, por isso tomar decisões na hora que a bomba explode pode ser perigoso, já que muitas sensações podem estar envolvidas nisso. Aquietar a alma, acalmar o coração e esperar o tempo passar pode ser a melhor escolha nessas situações.

Mudar a rota Tudo o que foi dito acima são ferramentas importantes para te ajudar a tomar a melhor decisão. No entanto, convém lembrar que a vida da gente é circular, cheia de encontros e desencontros e que nem tudo está sob controle. Ou melhor, nada está sob controle! Ter em mente que algumas escolhas podem ser belos tiros no pé é um alívio. Primeiro, porque você é humano e, portanto, passível de erro. Segundo, não dá pra acertar sempre. E terceiro – e a melhor parte disso – sempre é tempo de escolher novamente. Se uma decisão não foi a mais acertada, relaxa, é só mudar a rota e começar de novo 🙂

ARTIGOS RELACIONADOS