4 dicas para controlar a raiva na gravidez | Arita - Treinamento de Inteligência emocional

4 dicas para controlar a raiva na gravidez

4 dicas para controlar a raiva na gravidez

4 dicas para controlar a raiva na gravidez

Durante a gestação, a mulher precisa lidar com um misto de transformações e sentimentos em todas as áreas de sua vida: profissional, pessoal e conjugal. Deixar-se levar por eles pode levar a complicações para o bebê, por isso controlar a raiva durante a gravidez pode ser um grande aliado nessa fase.

Desde o primeiro mês, o corpo da futura mamãe passa por oscilações hormonais que vão prepará-la para gerar e desenvolver o bebê. No primeiro trimestre, as taxas de estrógeno e progesterona sobem bastante e desencadeiam um misto de felicidade, insegurança, ansiedade e angústia. No segundo, as transformações físicas são mais concretas, como o despontar da barriga e o crescimento das mamas. Já no terceiro trimestre, para a maioria das gestantes, os sentimentos prevalentes são irritação e ansiedade.

Somado a essas transformações vêm a licença maternidade, o desconforto na vida sexual, a dificuldade para dormir, as mudanças de prioridade, e assim por diante. Para que o estresse e a raiva não interfiram nesta nova fase, buscar apoio e praticar algumas mudanças comportamentais faz toda a diferença para que estes sentimentos não provoquem complicações.

Quando a mulher enfrenta situações estressantes, sem querer ela expõe a criança a altas taxas de cortisol e citocinas inflamatórias. Esses hormônios podem aumentar o risco de alergias, as chances de parto prematuro, a resistência à insulina, o risco de obesidade e de doenças cardíacas, causar alterações cerebrais e baixar o peso do bebê ao nascer. Para te ajudar a prevenir alguns problemas relacionados a isso, separamos quatro dicas para você controlar a raiva na gravidez:

Como controlar a raiva na gravidez?

  1. Afaste-se de pessoas desnecessárias: Você não precisa de ninguém que te passe insegurança ou seja negativo. Estar perto de pessoas deste tipo pode contribuir para que você se sinta mal, por isso quanto mais longe você ficar de pessoas desnecessárias, melhor!
  2. Converse com quem pode te ajudar: Independentemente do assunto, converse com quem te entende e pode te acalmar. Cônjuge, mãe, pai, amiga(o), psicólogo, psicanalista. Aqui, o foco é que você encontre conforto e tranquilidade para desabafar e eliminar os sentimentos pesados que te fazem mal.
  3. Evite situações estressantes: Se alguma circunstância fugir de seu controle, tente sair um pouco do local. Vá para algum lugar tranquilo, respire fundo e, se precisar, conte até cem. Se aquele assunto não é de urgência, deixe para resolver com calma no dia seguinte.
  4. Faça atividade física: A prática de exercícios libera endorfina, um dos hormônios do prazer, o que auxilia no controle da ansiedade e proporciona sensação de bem-estar. Estar em movimento também vai te ajudar a controlar o peso e, assim, tornar você e o bebê mais saudáveis. Importante: os exercícios indicados para gestantes são sempre de baixo impacto e você precisa conversar com seu médico antes de realizar qualquer atividade para ter certeza de que é seguro.

O importante é que você tenha consciência de que sempre pode pedir ajuda a alguém. Não guarde seus sentimentos para si e não desperdice sua energia com situações e pessoas que não valem a pena. Concentre-se na felicidade desta nova fase e compartilhe os momentos com as pessoas que você ama.

Você também pode gostar de ler:

Crédito: fizkes / Tipo de licença: Royalty-free / Coleção: iStock / Getty Images Plus

ARTIGOS RELACIONADOS