Síndrome da separação: como superar?

Síndrome da separação: como vencer a ansiedade que nos gera esta angústia?

Síndrome da separação: como vencer a ansiedade que nos gera esta angústia?

Comum na infância, a síndrome da separação pode indicar níveis de ansiedade acima do normal nas crianças. É preciso redobrar a atenção

Também chamado de ansiedade da separação, este sentimento ocorre quando compreendemos a ausência de alguém importante em nossas vidas, principalmente durante a infância, quando percebemos a ausência (mesmo que momentânea) dos pais. É algo que surge e demanda o gerenciamento das emoções, da ansiedade e também tomadas de decisões importantes. A síndrome da separação é o assunto do post de hoje, aqui no blog da Arita Treinamentos. Continue a leitura!

O que você precisa saber sobre a síndrome da separação

Para melhor compreensão sobre como a síndrome da separação está presente em nossas vidas, vamos tratar do assunto em faixas etárias diferentes, principalmente com foco no controle da ansiedade. Confira:

4 meses de vida a 1 ano de idade

  • Se possível, evite deixar o bebê com pessoas que não fazem parte da sua rotina. Caso não seja possível, verifique com atenção se o bebê fica à vontade sob os cuidados de outras pessoas.
  • Caso a criança manifeste rejeição ao ficar com outra pessoa, mesmo que seja um familiar ou amigo próximo, permaneça ao lado por algum tempo para que o bebê compreenda que você está ali por perto para o que precisar.
  • Assim que a criança começar a engatinhar, afaste-se um pouco. Deixe que ela engatinhe sozinha e crie uma certa independência. Pode parecer algo bobo, mas é um fator importante para controlar a ansiedade da separação.
  • Outra boa dica para tentar controlar a angústia da separação é brincar de esconde-esconde com o bebê.

1 e 2 anos de idade

  • Durante esta faixa etária, a criança já compreende alguns sinais de linguagem corporal e oral. Por isso, o ideal é que você tente explicar o motivo da sua ausência e deixe claro que logo irá voltar. Preferencialmente, sem expressões de tristeza ou preocupação.
  • Não saia escondido(a) e sempre se despeça da criança, por mais complicada que seja a situação e mesmo se a criança começar a chorar no momento.
  • Busque manter um clima agradável e tranquilo ao se despedir. Ao fazer isso, sempre que ocorrer uma futura separação, a criança não terá (ou terá poucas) lembranças negativas ou traumáticas. A síndrome da separação pode ser combatida desta maneira com o passar dos anos.

A partir de 2 anos de idade

  • Muitas crianças começam a ficar sozinhas, com mais frequência, a partir dos dois anos de idade. E se a criança apresentar sinais claros de ansiedade, o ideal é que você dê um passo de cada vez no sentido da ausência. Por exemplo: na primeira semana, deixe a criança sozinha por 30 minutos. Na segunda semana, aumente para uma hora. E assim por diante.
  • Outro ponto comum ocorre na escola, com a criança não querendo ficar sem os pais. É um sinal claro da síndrome da separação. Uma boa alternativa é deixar com a criança algum brinquedo que ela associe à casa e aos pais, ao bem-estar emocional. Evidentemente, se a escola permitir. Um brinquedo favorito pode passar mais segurança e ajudar a combater a ansiedade.

Com o tempo, é esperado que a criança passa a controlar melhor a ansiedade que sente ao ficar longe dos pais. Um fato importante e que todos os pais precisam compreender é que uma criança não deve sofrer excessivamente com a separação. Caso a criança apresente dores de cabeça, vômitos, falta de ar, náuseas, palpitações, agressividade e outros sinais fora do comum, redobre a atenção.

Inteligência emocional

A metodologia que busca compreender as emoções e derrubar as barreiras psicológicas que geram problemas, como a síndrome da separação, pode fazer a diferença para você que tem filhos que não conseguem ficar sozinhos. Quer saber mais sobre o assunto? Aproveite: fale com um dos nossos especialistas!

ARTIGOS RELACIONADOS